História da Umbanda - Primeira parte

A Umbanda é uma religião genuinamente brasileira, pretendo desmistificar um pouco os conceitos errados que muitos tem dessa maravilhosa religião.

Primeiro um pouco da minha experiência na Umbanda. Eu conheci a religião através do meu pai, que, na época, era Pai Pequeno (pretendo explicar essas coisas mais pra frente) em um terreiro de Umbanda em Piracicaba, interior de São Paulo. Eu só fui saber disso quando eu tinha 14 anos, eu não sei a quanto tempo ele já era urbanista. Ele me apresentou a Umbanda justamente quando eu estava com 14 anos e fui morar com ele em Piracicaba (minha mãe estava mudando de São Paulo para Araras/SP). Eu me apaixonei por essa religião desde a primeira vez que a frequentei. Comecei a frequentar o terreiro e fiquei 6 meses direto, toda terça e quinta, cheguei a morar na casa aonde era o terreiro na época. Não vou entrar em muitos detalhes, mas quando meu pai faleceu eu me afastei da Umbanda e só retornei ano passado, quase 17 anos depois da primeira experiência. Atualmente faço parte da corrente da Fraternidade de Umbanda Esotérica do Caboclo Pena Branca e Pai Congo de Aruanda, aqui em Ribeirão Preto. Uma casa que assim que conheci tive uma afinidade muito grande.

Voltando ao que interessa...

A Umbanda foi trazida a nós pelo Caboclo das Sete Encruzilhadas, através do médium Zélio Fernandino de Moraes, uma história interessante, na época ele estava com 17 anos se preparando para ingressar na carreira militar no Rio de Janeiro. A família, tradicional, começou a se assustar com uma série de "ataques" que Zélio começou a sofrer, ele assumia algumas vezes a postura de um velho que aparentava ter vivido em outra época ou então de um ser com um vasto conhecimento da natureza. Após ser examinado por vários dias pelo médico da família, esse, recomendou que o menino fosse levado a um padre, pois a sua "loucura" não se enquadrava em nenhum padrão da medicina, o médico o classificou como endemoniado.</div>

Alguém da família sugeriu que o caso era para ser tratado pelo espiritismo, e que o melhor era leva-lo à Federação Espírita de Niterói. E lá ele foi levado em 15 de novembro de 1908, em uma sessão presidida por José de Souza. Tomou um lugar à mesa e indo contra as normas da casa e movido por uma força alheia a sua vontade, Zélio se levantou dizendo: "Aqui falta uma flor", foi até o jardim e de lá trouxe uma flor e a colocou no centro da mesa causando um grande tumulto na sessão, a partir desse momento começaram a se manifestar nos médiuns kardecistas espíritos de negros escravos e índios...


…continua

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

7 comentários:

FlahH* disse...

Amorrr....


vc não errou nadica de nada!Parabéns....


te amooo!

Ah Danado disse...

Parabéns,Também sou Umbandista.Ótimo post.Não esmoreca.

william haddad disse...

AXÉ meu irmão continue quero ler mais. forte abração deste teu irmão. OLORUM É NOSSO PAI

flp38 disse...

me manda um e-mail quando for continuar...
flp__38 da hotmail....
obrigado...

Felipe disse...

Mas cadê o resto?!?!?!?
Excelente história!

BackK disse...

A segunda parte está aqui: http://cozinha-de-homem.blogspot.com/2010/11/historia-da-umbanda-segunda-parte.html

Vou postar o link no ocioso assim que o sistema deles voltar.

Axé!

Jean Assis disse...

Não sou umbandista mas achei interessante.

Postar um comentário