História da Umbanda - Segunda parte

…continuando

Diante dos espíritos "atrasados" o diretor dos trabalhos convidou aqueles escravos e índios a se retirar.

Diante dessa atitude do diretor o médium Zélio foi novamente tomado por uma força estranha que falou: "Porque repelem a presença desses espíritos, se nem sequer se dignaram a ouvir suas mensagens? Será por causa de suas origens sociais e da cor?

Nesse momento os ânimos se exaltaram, os dirigentes tentavam de toda a forma doutrinar e afastar aquele espírito desconhecido que desenvolvia uma argumentação muito firme e segura.

Foi então que um médium vidente perguntou: "Por quê o irmão fala nestes termos, pretendendo que a direção aceite a manifestação de espíritos que, pelo grau de cultura que tiveram, quando encarnados, são claramente atrasados? Por quê fala deste modo, se estou vendo que me dirijo neste momento a um jesuíta e a sua veste branca reflete uma aura de luz? E qual o seu nome irmão?"

Zélio, ainda tomado por aquela força, respondeu:

"Se querem um nome que seja este: sou o Caboclo das Sete Encruzilhadas, porque para mim não haverá caminhos fechados.

O que você vê em mim são restos de uma existência anterior. Fui padre e meu nome era Gabriel Malagrida. Acusado de bruxaria fui sacrificado na fogueira da Inquisição em Lisboa no ano de 1761. Mas em minha ultima existência física, Deus concedeu-me o privilégio de nascer como caboclo brasileiro."

Ironicamente o vidente retrucou: "Julga o irmão, que alguém irá assistir a seu culto"

Firmemente o caboclo continuou:

"Cada colina de Niterói atuará como porta voz, anunciando o culto que amanhã iniciarei

Deus em sua infinita bondade, estabeleceu na morte, o grande nivelador universal, rico ou pobre, poderoso ou humilde, todos se tornariam iguais na morte. Mas vocês homens, preconceituosos, não contentes em estabelecer diferenças ente os vivos, procuram levar essas diferenças até mesmo além da barreira da morte. Porque não podem nos visitar esses humildes trabalhadores do espaço, se apesar de não haverem sido pessoas socialmente importantes na Terra, também trazem importantes mensagens do além?"

No dia seguinte, reuniram-se na casa da família Moraes, na rua Floriano Peixoto nº 30 os membros da Federação Espírita para comprovarem o que havia sido declarado na noite anterior, estavam presentes também os familiares e amigos mais próximos de Zélio, além de uma multidão de desconhecidos que aguardavam fora da residência.

As 20h manifestou-se o Caboclo das Sete Encruzilhadas. Ele declarou então que a partir daquele momento iniciava-se um novo culto, aonde os espíritos de velhos africanos que serviram de escravos e os índios nativos de nossa terra poderiam trabalhar em benefício de seus irmãos encarnados, qualquer fosse sua cor, raça, credo ou condição social.

A prática da caridade, no sentido do amor fraterno, seria a principal característica desse culto.

Foram estabelecidas pelo Caboclo as normas para esse culto, aonde as sessões deveriam acontecer entre as 20h e 22h diariamente, os participantes estariam vestidos de branco e o atendimento seria gratuito.

Deu também o nome desse novo movimento religioso que se iniciava, UMBANDA.

Esse foi o início dessa maravilhosa religião, não entrarei em outros detalhes, pois meu objetivo foi apenas esclarecer um pouquinho a respeito dessa tão discriminada religião. Com o tempo colocarei outros textos para trazer luz aos corações de quem quiser aprender e vencer o preconceito. Umbanda é caridade, não é macumba, não tem sacrifício de animais, não faz o mal a nenhum irmão, não é bruxaria, é amor incondicional, utiliza-se de elementos da natureza para trazer um alento para nós que aqui estamos, encarnados, cumprindo nosso papel evolutivo na espiritualidade.

Espero que tenha tocado os corações de quem aqui tenha passado, e instigado as vossas mentes a procurar um pouco mais de conhecimento.


Um grande abraço!



  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

3 comentários:

FlahH* disse...

Parabéns meu amor...

Eu te amo mto!

Obrigada por fazer parte da minha vida e da minha história!

Denis Sant'Ana .'. \|/ disse...

Lindíssimo post, Irmão!

Se alguém quiser saber mais sobre Umbanda, deixo aqui meu Blog de Estudos. Manastê, Saravá, Ágape!

http://espiritualizandocomaumbanda.blogspot.com/

Deus abençoe a Todos!

"mundo glbt ,belem " disse...

Ola
E muitíssimo interessante, os seus relatos sobre o nas cimento da umbanda, foi a primeira vês que tive oportunidade de ler sobre o assunto.

Sou de Belém, sou de uma denominação da UMBANDA chamada de Mina Nago, predominante em Belém e no Maranhão.

Axé

Postar um comentário